Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.324.109 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2019
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

Deu interior na final


Publicada em: 27/11/2011 06:28
por: Hélio da Rosa Machado

                   Quem foi ao campo do Sindijus na tarde de ontem teve a ocasião de conferir duas partidas de grande nível técnico, em ambos os jogos que coroaram os finalistas do Vetera, edição 2011, visto que tanto no 1º jogo, como no segundo, os jogadores que estavam em campo demonstraram grande empenho na busca de encontrar saída para classificar seu excrete para a grande final de sábado que  vem.

                    No 1º jogo, do lado do Aquidauanense, seu técnico Edson Ferreira armou um esquema defensivo no sentido de evitar as jogadas ofensivas produzidas pela dupla de atacantes do Ivinhema, no caso, Marcinho e Sirfarnei. No primeiro tempo até que a equipe azul celeste conseguiu evitar que essa dupla de artilheiros causassem estragos nas pretensões do comandante Edson Ferreira. Essa marcação implacável, mais a organização tática da equipe do Aquidauana, fez com que a equipe pantaneira conseguisse abrir o placar. O jogo transcorreu, a partir desse instante, de forma mais intensa por parte do Ivinhema, já que o placar (até então) lhe retirava da final. Assim, este articulista, no comando da equipe da terra da mandioca, incentivava que seus jogadores fossem ao ataque. Isso causou uma perseguição implacável contra o gol adversário, mas, sua dupla de artilheiros continuava bem marcada e a bola ia cair nos pés de outros jogadores de meio campo que, dentro da função de marcadores, não concluíam para o gol de forma eficiente. Entretanto, numa jogada isolada do atacante Sirfarnei, conseguimos empatar o jogo ainda no primeiro tempo. Fomos para a segunda etapa cientes de que tínhamos de romper a barreira defensiva adversária. Com o cansaço, os jogadores de defesa do Aquidauana iam cedendo espaços. Assim, aos poucos o predomínio do nosso ataque foi reprisando toda a história da fase classificatória, já que tanto Marcinho quanto Sirfarnei gozam de um bom preparo físico. Não deu outra, viramos o placar e daí pra frente o adversário corria atrás de um bom resultado, mas, encontrava barreiras intransponíveis numa das melhores zaga do campeonato.

                   No segundo jogo, as emoções não foram diferentes, já que tanto o Naviraiense como o Comercial, por serem equipes de elenco bem qualificados tecnicamente, demonstravam, antes da bola rolar, boa expectativa entre os presentes, até porque a equipe laranja comandada pelo Lalá, estava diante de um novo desafio que era vencer a equipe Colorada que vinha de melhor performance na fase classificatória. O jogo começou bem disputado com a equipe do Naviraiense montando um esquema defensivo no sentido de isolar as melhores jogadas do ataque colorado, afinal, tinha de romper o ímpeto ofensivo de atacantes como Beto Túlio, Heraldo, Piron etc. Venceu o tempo relativo à primeira etapa e nenhuma das equipes havia achado um meio de vencer a barreira defensiva adversária, por isso o placar insistia em permanecer inalterado. Veio o segundo tempo e o jogo permanecia indefinido, até o momento em que, numa jogada isolada, um defensor colorado derrubou um atacante do Naviraiense dentro da grande área (observe correção abaixo). O árbitro, sem nenhum vacilo, apontou a marca da cal. O homem bombástico Mohamed, como é de praxe, fez a bola entrar rasteira, no canto esquerdo do arqueiro Daniel, selando, a partir dali,  um cenário de guerra e de luta por parte da equipe vermelha, que, meio que aturdida corria atrás de, pelo menos, um empate. Entretanto, o relógio correu rápido e o árbitro ergueu os braços e encerrou  a épica batalha travada pela equipe colorada que, a exemplo do que ocorre em nosso atual Campeonato Profissional, não dá mais para equipes da Capital, já que é o interior quem comanda o espetáculo. 

                    Assim, Ivinhema e Naviraiense vão montar novo cenário da Arena Sindijusense, onde a galera presente no sábado que vem poderá presenciar um grande duelo entre dois expressivos elencos interioranos. Estaremos vivenciando a imitação da arte. Quando as cortinas se abrirem para mais esse espetáculo, estaremos presenciando o esporte amador imitar o esporte profissional. A realidade de lá não modificou em nada a realidade de cá. São corações diferentes, repetindo emoções iguais.

                    Agradecimentos especiais à dupla Luiz Fernando &Adailton, que abrilhantou o pós-jogo. Um deles (Adailton) é filho do Luiz Carlos que trabalhou na gráfica do Tribunal de Justiça nos anos 80. A dupla encantou a galera presente, visto que os rapazes são talentosos e possuem repertório bem moderno, já que a maioria das músicas executadas tinham relação com o modismo do sertanejo universitário. A dupla apareceu no Sindijus através de iniciativa do pai que queria apresentá-los ao velhos amigos de trabalho.

                    Oportunamente estaremos postando mais fotos. Aguardem. O maior acervo aparecerá na seção especial FOTOS e VÍDEOS.


Imagens

Elenco do Ivinhema.

Elenco do Naviraiense

Ivinhema montando a estratégica para vencer o Aquidauana.

Aquidauana estudando uma fórmula de parar o ataque do Ivinhema.

Craques no bando do Comercial.

Banco do Naviraiense.

Arquibancada cheia.

Arbitragem de gabarito na semifinal.

Confraternização entre classificados e desclassificados.

Dupla que abrilhantou o pós-jogo. O pai Luiz Carlos (Kalunga), orgulhoso com o filho músico.

Comentários (7)

Enviado por: Adalberto, em: 27/11/2011 11:05
Exlecelente matéria Hélio, só uma pequena coreção, o penalti foi em uma bola cruzada na diagonal que pingou e bateu na minha mão(sem intenção) mas desviou a trajetória da bola dentro da grande área. Infelicidade minha no lance. Abraços.

Enviado por: Hélio, em: 27/11/2011 11:31
Agrego ao texto a correção feita pelo amigo Adalberto.

Enviado por: olheiro, em: 28/11/2011 09:11
E como diria um grande filósofo, se o Comercial queria enfrentar o Aquidauanense, vai enfrentar......rsrsrsrsrsrsrs, só que na decisão do 3º e 4ª.....rsrsrsrsrsrsrsr. AI COMO EU SOU BANDIDO........

Enviado por: Torcedor, em: 28/11/2011 10:19
Peço à direção e aos seus organizadores que solicite ao pessoal da manutenção que deêm uma jogada de água na arquibancada na véspera da decisão, saimos de lá parecendo que tínhamos sentado na terra. De resto está tudo muito bom.

Enviado por: Hélio, em: 28/11/2011 12:34
O torcedor tem toda razão no que diz respeito à arquibancada. Aquela hípica que instalaram em nossa vizinhança só tem dado prejuízo para Delegacia do Sindijus, uma vez que além de sua poeira vir assentar em nossas arquibancadas, a sua proprietária, não faz questão nenhuma de manter boa vizinhança, tanto que à noite quando as bolas caem no seu pátio, os funcionários estão proibidos de devolverem (as bolas só são devolvidas noutro dia). Logo, fica aqui nossa indignação com essa empresa vizinha que deveria partilhar de boa política com a vizinhança já que tem nos causado sérios problemas que deveriam ser resolvidos caso sua proprietária tivesse melhor tino no seu empreendimento.

Enviado por: Alziro, em: 29/11/2011 15:31
Machadinho. No comentário à quinta foto (de cima para baixo), por quê você assim se expressou: "bando do comercial"? Por quê?

Enviado por: Hélio -, em: 29/11/2011 17:30
Deveras Alziro, cometi um erro. Os comentários não permitem as correções. Esclarecendo: Onde está escrito bando, leia-se banco.

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)