Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.294.324 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2019
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

Agradecimentos...


Publicada em: 13/04/2009 18:03
por: Hélio da Rosa Machado

Quero agradecer aos amigos que estiveram presentes na festa de aniversário do meu pai no último dia 11.04.2009, na Chácara “Machadinho”, encravada nas cercanias do rio Aquidauna, no município de Dois Irmãos do Buriti. São eles: Valdir Casagranda, Fábio Cortez, Alziro do Amaral, Edson Ferreira, Alcírio Glagau e Emerson Morilho. Agradeço também aqueles que não puderam comparecer, pois sei que não estiveram presentes por motivos plenamente justificados.

Por volta das 17 horas o ambiente já estava contagiado pela alegria desse grupo que se juntou aos demais convidados da redondeza, incluindo meus tios de Rio Brilhante e de Dois Irmãos do Buriti, além de meu irmão e toda a família adjacente. Foi uma reunião festiva e memorável que causou lágrimas nos olhos do homenageado. Não era de se esperar um resultado melhor, pois sabíamos de antemão que estaríamos diante de um pessoal animado e cheio de empolgação.

O conjunto Canto Livre (aquele que há pouco tempo esteve conosco no Sindijus, num jogo de quinta-feira), estava inspirado e tocou desde que chegou até que o sono chegou arrefecendo o ânimo dos “baileiros”, em algumas horas da madrugada. Os chamamés, as rancheiras, os  chotes, os vanerões e as canções de raiz se instalaram no repertório daqueles talentosos músicos, dando um brilho especial à festa, que aproximadamente deve ter reunido um contingente de mais de cem pessoas, sem contar a criançada (também de contingente expressivo). Agradecemos a esses incansáveis cancioneiros nas pessoas de Augusto (violeiro e voz), Ademir (violeiro e voz)  e Celinho (acordeonista). O trio recebeu inúmeros elogiosos dos presentes, especialmente o sanfoneiro Celinho que em certa hora (alguns diziam) estar incorporado por uma entidade (do além mundo).

Meu pai ficou tão empolgado que virou “um pé de valsa”. Alguns comentavam que ele é o verdadeiro “Machadinho” e que eu sou apenas uma cópia bem desbotada e amassada pelo tempo.

Mas, no domingo, a festa continuou, eis que um pouco depois do café da manhã os músicos reiniciaram as cantorias e desta vez até a criançada participou através da músicas sertanejas atuais, conhecidas como sertanejo universitário. Nessa ocasião, que conduziu o repertório foi o talentoso Ademir, que, curiosamente, demonstrou que tem um repertório eclético e bem atualizado.

Tudo valeu a pena. Alguns até tiveram tempo para pescar. O “Fabanhas” chegou dizendo que perdeu o maior peixe da sua vida. Depois fomos averiguar o noticiado, ficamos sabendo que o peixe nem chegou a passar perto do seu anzol, pois o verdadeiro autor da proeza foi o Gérson – o seu companheiro de barco que fisgou um imenso dourado, mas o bicho era tão grande que quebrou o anzol e foi embora. Esse mesmo pescador no dia em que a turma chegou exibia um douradão de mais ou menos 07 quilos que tinha pescado naquela mesma manhã de sábado.

Os pescadores Valdir Casagranda e a esposa do Alziro é que se empenharam bastante, mas só molharam a minhoca. Aliás, o Alziro é tão pescador que nem se aproximou do rio para ver suas águas. Ou melhor, deu um conselho para sua mulher tirar os lambaris do saco com oxigênio (abastecido na casa de iscas), com o argumento de que os peixes (dentro daquele saco) iriam morrer pela falta de oxigênio. Isso é que é ter conhecimento e experiência sobre pesca!

Agradecemos também à Clemilda, à Marisa e à Laura, por segurarem a barra na hora da refeição. Nesse contexto também devemos agradecer ao Edson e ao Valdir pelo excelente churrasco do domingo.

Enfim, depois de tanta empolgação e tanta animação, saímos daquele recanto encravado num local de singular beleza natural, com a sensação de que todos ficaram querendo retornar em breve; para uma pescaria abrangente e exclusiva, regada a muita cerveja, animação e, se for possível, com os músicos “pratas da casa” e com outros colegas que não puderam estar presentes.

As demais proezas e lances hilários ficam por conta dos comentários, eis que os detalhes “bofológicos” ficam ao critério da criatividade e da captação individual de cada um dos presentes.

Algumas fotos sobre o evento...Outras fotos e vídeos poderão ser acrescidos oportunamente...



Imagens

Ponte sobre o rio Aquidauana que dá acesso à Chácara "Machadinho"

O "Machadinho" original...

As esposas que prestigiaram o evento...

O "Fabanhas", o Fabinho e a Vanessa...

Alcírio e Cidinho... Os perdidos na noite do sertão...

o "Machadinho" original e seus dois irmãos...

Momento de descontração sob a sobra de uma árvore...

Granades churrasqueiros...

A ala jovem da festa...

Hora do tereré...

Um domingo para não esquecer...

Folga no terreiro...

Olha o olhar de preocupação do Valdir...

União com a "prata da casa"

Querendo fama como o "chapéu" alheio. Ou melhor, peixe alheio...

Idem...Idem...

Até o Rafael entrou na dança...

Comentários (7)

Enviado por: Valdir Casagranda ... DM, em: 13/04/2009 20:05
Registro aqui tudo o que presenciei. 1. Conjunto Canto Livre - Verdadeiros profissionais. Eles cantam muito e de tudo. 2. O Peixe do Fabanhas - É pura mentira do Fabanhas ... quem pesca é o Gerson (velho amigo) e o Aldo. Quem não foi perdeu o PACU frito ... pescado por ele (Aldo) e servido no almoço de domingo. 3. Dormir na barraca - Foi a primeira vez na minha vida e digo que valeu a pena. 4. A emoção do Machado Pai - Não tem preço. Presenciei suas lágrimas na despedida. Para quem não sabe, o chapéu de palha que eu estava usando foi presente do Machado Pai. Hoje ele está guardado na sala sobre a televisão. 5. As latinhas - 24 consumidas nos 30 km de estrada de chão. 6. Finalmente, agradecemos por tudo e a todos.

Enviado por: k10, em: 14/04/2009 09:47
Parabéns aos amigos da bancada da bola que mais uma vez estiveram em uma jornada de confraternização e alegria, em especial destaque ao nosso amigo Machadinho, que com certeza viveu momentos de alegria e emoção com seus familiares. Não pude estar presente pois ja fiquei sabendo bem em cima da hora e ja tinha outros compromissos, inclusive de trabalho e algumas guelas. Quanto aos pescadores, o forte do fabanhas é linguiça e dança do ventre, futebol e pescaria tem que aprender muito ainda. rsrsrsrsrsr

Enviado por: fabio, em: 14/04/2009 17:05
quero deichar meu protesto, pois o meu peixe que escapou era maior do que o peixe eu ja avia pego como voces iram ver na foto futuramente.

Enviado por: Hélio da Rosa Machado, em: 15/04/2009 09:16
Alô, Emerson Morilho. Meus fotógrafos não registraram os melhores momentos desta festa. Já demiti todos eles...Solicito a exposição de suas fotos e vídeos que tiver disponível, para que a matéria seja mais completa. Ok!

Enviado por: Fabricio, em: 15/04/2009 09:20
Por motivos de viagem de visita familiar não pude ir, e pelo jeito a festa foi boa... parabéns pela confraternização. Espero e acredito que não faltarão oportunidades como esta, pois com esse grupo unido as "guelas" e confraternizações sempre aparecem.

Enviado por: Fabricio, em: 15/04/2009 09:22
E o tio do Machado (filho) ali, deve ter se divertido com o Machadinho "surrando" a timba dos 2 lados... hehe

Enviado por: BOSSAY, em: 15/04/2009 16:02
Parabéns Machadinho e também ao seu pai pela grande festa realizada. Pena que não pude ir. Não faltará oportunidade. Em tempo: estou me recuperando do tornozelo e espero estar pelo menos com 70% no início do campeonato, pois creio que com este percentual já é suficiente para mostrar o meu excelente futebol. rsrsrsrsrsrs.

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)