Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.104.832 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

Mais uma goleada histórica


Publicada em: 06/10/2013 10:54
por: Hélio da Rosa Machado

Semana passada foi meu time (o Vila Nova) quem amargou uma derrota expressiva para o time do Atlético Goianiense por 9 X 1. Neste sábado passado foi a equipe do Goiás quem sentiu o peso do ataque vermelho. A equipe comandada pelo Toninho Ávalos aplicou outra sonora goleada, desta vez pelo placar de 10 X 2. Pode?

Assim, neste momento estou mudando meu posicionamento da semana passada. Penso que não está sendo a média de idade que está levando essa equipe a colher tantos resultados expressivos, mas, sim o potencial de seus jogadores. Sucede que os meninos do elenco, além de jovens, são altamente qualificados tecnicamente.

Aí vem o Kerson e fala: Meu time ganhou do Atlético Goianiense! Isso qualifica o elenco do Novo Operário, sem dúvida.

No primeiro jogo, as equipe do Cene e Brasiliense fizeram um bom jogo, entretanto, foi a equipe de Brasília quem levou a melhor. A volta de alguns atletas que desfalcaram a equipe nas rodadas anteriores demonstrou que essa equipe completa tem mais fôlego para resistir aos 80 minutos dentro de campo, o que não ocorreu no sábado atrasado. A equipe do Cene lutou bastante dentro de campo, mas o Brasiliense sempre esteve na frente no placar. Aliás, abriu na frente com um golaço do jogador Quati, que acertou um ‘torpedo’ no ângulo do goleiro Fábio. O Brasiliense fechou o jogo com placar de 4 X 3 em seu favor. O placar apertado demonstra que equipe do Cene perdeu o jogo, mais foi aguerrida dentro de campo. Isso, certamente, contribuirá para sua evolução na competição, afinal, já folgou e ainda tem quatro jogos pela frente, apesar de não ter nenhum ponto.

No segundo jogo, a equipe do Vila Nova começou o jogo nervosa, onde os seus principais jogadores como Tulinha e Alfinete estavam visivelmente pressionados pelos resultados adversos das duas primeiras rodadas. Eles erravam passes na distância de três metros o que não é usual na atuação desses atletas. Resultado disso foi a abertura de espaço para o ataque do Mixto. Numa bola isolada o atacante José Rodolfo concluiu para o gol. Jô estava encoberto pela nossa zaga e tomou o gol debaixo de seu corpo, já que a bola foi chutada muito forte e rasteira. Na metade do segundo tempo a equipe do Mixto em outro chute rasteiro fez o segundo gol. A bola bateu em baixo do travessão e entrou para o gol. Daí em diante, todos penavam que ia haver outra goleada. Ledo engano! Dessa vez a equipe do Vila Nova reagiu. Logo fez o seu primeiro gol pelos pés de nosso atacante Bruno. Continuou pressionando o adversário e numa jogada ofensiva a bola sobrou na cabeça de Tulinha que conclui para as redes. Nosso ataque continuou insinuante e numa jogada por cima Alfinete fez outro gol, mas o árbitro anulou sob o pretexto de nosso jogador ter empurrado um zagueiro adversário. Enfim, desta vez a equipe do Vila Nova mostrou mas empenho dentro de campo, mas ainda falta muito para que seja uma equipe vencedora. Resultado: placar de 2 X 2.

No terceiro jogo, novo placar atípico em nosso certame. Diante do critério de escolha dos times é difícil que uma equipe se sobressaia tanto dentro de campo. Neste ano, à exceção do primeiro jogo contra o Novo Operário, a equipe do Atlético Goianiense  tem ‘tirado o sono’ dos técnicos adversários, que, com elencos menos capacitados, não conseguem encontrar esquema que surta efeito no sentido de frear o ataque vermelho. O ataque da equipe do Atlético Goianiense deu trabalho desde o primeiro apito do árbitro até o momento do encerramento da partida. Não deu trégua para a defesa do Goiás. Foi fazendo um gol atrás do outro. E olhe que a equipe do Goiás também tem jovens valores de boa qualidade técnica. Sucede que o Atlético Goianiense, além de ter um ataque veloz e habilidoso, conta com um meio de campo e uma defesa que ‘chega junto’ e não deixa o adversário crescer em campo. O Jader (filho do Toninho) está jogando uma barbaridade na defesa. O veterano Reuneu idem. Este último faz bons passes e cadencia as jogadas do Atlético Goianiense municiando os bons atacantes Rodrinho e Douglas. Enfim, será, doravante, um time a ser batido e quem repetir o feito do Novo Operário, terá o reconhecimento da galera das arquibancadas, já que a tendência é que os torcedores fiquem na torcida das equipes com menos potencial técnico. Conforme já afirmei o placar ficou em 10 X 2 para o Atlético Goianiense.

Bom, depois dessa rodada, a goleada levada pelo Vila Nova já vai ser esquecida porque tem um novo técnico na berlinda nesse momento. Agora é o Tuchão que corre o risco de ser demitido. Enfim, sua equipe não teve o mesmo prejuízo de nosso time porque já estava com seis pontos e ainda tem todas as possibilidades de se classificar. Mas uma coisa é certa: as gozações vão mudar de rumo....kkkkkkkk



Imagens

Nosso Diretor Esportivo fazendo seu trabalho.

Cene estudando melhor forma de jogar.

Brasiliense. A vitória de ontem deu-lhe bom fôlego para a classificação.

Jaimão comandando as 'cornetagens'. Pudera, estava de folga nessa rodada.

Piron tentando esquecer o 'tombo' dentro de campo.

Fabrício brindado sua volta a campo depois de alguns compromissos extracampo.

Comentários (2)

Enviado por: k10, em: 07/10/2013 10:07
Eu falei, Tucho joga fechadinho saindo no "contrataque", mas é juvenil teimoso e deu no que deu.

Enviado por: Linha de Passe, em: 07/10/2013 12:46
Na verdade o gol que abriu a porteira foi uma falha de posicionamento da defesa pois com um tapa na bola o Rodriguinho deixou 3 marcadores para trás, chutou e o goleiro defendeu mas sobrou no pé do outro jogador do Atlético. Tem que 1 marcar e outros ficarem na sobra, mas não, foram os 3 dar o bote errado.

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)