Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.072.378 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

"Bancada" no NIPON


Publicada em: 16/12/2013 09:12
por: Hélio da Rosa Machado

O domingo foi magnífico para alguns membros da ‘Bancada da Bola’. Sucede que com a lei (piracema) que suspende as pescas nos rios, a galera achou uma fórmula de relembrar grandes momentos de pesca, desta vez em local diferente, mas de singular beleza visto que o pesque pague Nipon é rodeado de natureza e relembra em muito o prazer de se espreitar uma boa fisgada diante da variedade de peixes colocados à disposição dos fregueses. 

A ideia, como sempre, surgiu depois de um jogo amistoso da quinta-feira. Eu dizia para todos que já estive várias vezes naquele pesque e pague e sempre tive vontade de levar nossa galera para conhecê-lo já que há um bom espaço de lazer, com quatro lagos, restaurante, piscina e muito verde. Entretanto, foi o Fabrício, que nem sequer conhecia o lugar quem teve a ideia do convite. Aceitei com a condição de que ele (Fabrício) levasse o violão, porque assim poderíamos passar o dia em face de outras alternativas de diversão. Aceita a condição pelo Fabrício era só chamar o Mauro Gaiteiro que também aceitou o convite e o trio estava pronto para tocar uns 'modãos' para os presentes.

Nosso grupo tomou conta do espaço de um lado do lago central onde tinham as espécies  de pacus, douradinhos e pintados. O Fabão se assustou com o tamanho do pacu que o Fabinho fisgou. A princípio a gente achou que ele estava alegre com o feito do filho, afinal era o primeiro que tirava um peixe. Nada disso, a questão era de economia. Num só olhar que ele deu para o Fabinho este (com carinha de triste largou o molinete). O Fabrício, como ‘enrolação’ testou todas as suas iscas artificiais, pererequinha, peixinho colorido,  minhoca artificial, fios coloridos de cetim, enfim, tudo que existia de apetrecho dentro da sua caixinha misteriosa que foi comprada depois do naufrágio no rio aquidauana.

Quando foi dando fome nós pegamos o peixe do Fabão e o misturamos com os  outros que pegamos e mandamos fazer porção, afinal a gente ficou com pena do Fabinho que não pôde mais pescar. Só assim o menino pode pegar outra vez no molinete.

 Lá pelas tantas depois de vencidas todas as tentativas dissimuladas de pescas enredadas pelo (pseudo) pescador Fabrício, nós o convencemos que ele poderia economizar tocando umas modas. Eu e o Mauro nos oferecemos para buscar os instrumentos que ainda estavam nos carros. Daí pra frente só deu nós, porque todos os pescadores do local queriam ouvir as modas sertanejas. O Valdir já bem entusiasmado pelo calor produzido pelas doses das ‘loiras geladas’ não parava de afirmar que nosso grupo é diferenciado.

Só quando as sombras foram desaparecendo e o sol começou a incomodar as patroas é que recebemos as primeiras intimações para pegar a estrada de volta. Entretanto, foram as chamadas ‘saideiras’ que motivaram o adiamento da despedida.

Foi uma tarde agradabilíssima e esperamos realizar esse lazer mais vezes, especialmente em épocas do ano em que temos de dar um tempo para os peixes dos rios.

Aproveito a oportunidade para convidar os ‘peladeiros’ para a última ‘pelada’ do ano no próximo sábado.

Agora, a nossa próxima despedida do ano é na quinta-feira que vem. Vejam matéria 'Unindo Craques'.

 



Imagens

Fabinho pegou o primeiro, daí (pra ele) virou 'piracema'...

Esposas curtindo uma sombra.

Esse o Fabrício teve que trazer. Não conseguiu driblar a fiscalização...

Mauro chegou com uma fome! A moagem do dia anterior foi de amargar...

Tendo um trabalhão para tirar o peixe do anzol. Será que falta experiência?

Esse trio estremeceu o pesque pague NIPON. De longe se ouvia algum caboclo gritando ao ouvir um 'modão' da luz vermelha.

Na pesca nada. Mas, no violão, voz e na sanfona eles arrasaram.

Quando a fome chegou os peixes fisgados foram devorados.

Enquanto tinha sombras elas aguentaram.

Está convidado!

O Gerson (Opache) também nos deu a honra de sua presença.

Mulheres no almoço

Uma meia horinha pescando e o resto guéla e música.

Comentários (2)

Enviado por: Helio, em: 17/12/2013 07:01
Os vídeos relacionados com esta matéria foram lançados na seção FOTOS e VÍDEOS. Confira...

Enviado por: Mauro, em: 17/12/2013 16:02
Bons momentos..ficou a saudade,da fritada e das geladas,mas temos que repetir a dose..em breve..Bão de mais..montar a parceria com NIPON..nós com a música e eles com os peixes..

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)