Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.106.254 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

TSUNAMI E MINHA METÁFORA


Publicada em: 06/01/2014 12:06
por: Hélio da Rosa Machado

Ontem, assistindo a um jogo pela Copinha (Remo x Corinthians) constatei que no elenco paraense existi a um jogador que era chamado pelo nome de Tsunami. Provavelmente deve ser apelido, porque não creio que um pai ou uma mãe iria escolher uma tragédia para inspirar o nome do próprio filho.

Isso me levou a fazer comparações com as etapas de nossas vidas. Sim, porque tem vezes que um terremoto acaba comprometendo a paz das pessoas. Evidente que não estou me referindo um fenômeno físico da natureza, mas às circunstâncias em que a vida fica estremecida por problemas que jamais fomos capazes de imaginar.

As coisas vão acontecendo compassadamente e quando menos esperamos as ondas gigantes chegam fazendo uma varredura em tudo aquilo que a gente achava que era sólido. O resultado é o desastre que fica na imagem das pessoas. Às vezes você vive uma vida inteira de honra, de honestidade, de dedicação às boas causas, mas percebe que isso não foi suficiente para semear exemplos para aqueles que estão bem pertinho de você.

Aí você se pergunta: O que foi que eu fiz? Será que não me esforcei o suficiente nos exemplos e nas bandeiras que ergui como fonte de minha batalha. Será que ter sido honesto e compartilhado da sociedade legalista não foi o bastante para que as pessoas que estão ao meu lado se sentissem acuadas pelas incertezas da vida escusa?

Acho que não! Talvez não sejamos nós que falhamos. O destino e o acaso, às vezes, nos dão desafios para que possamos ser testados perante nosso Criador Supremo. Ele põe as pedras em nosso caminho para que a gente aprenda os desvios. Esses obstáculos só travam a caminhada, mas nem por isso deixamos de chegar onde queremos. A perseverança, a esperança, a fé e a busca pela rota da harmonia é que dão combustível para que o tsunami seja superado com honradez.

Esses momentos de incertezas nos enchem de crença. Fazem com que passemos a recorrer às obras Divinas. Buscamos a proteção naquilo que não conhecemos. Exaltamos o poder das forças transcendentais que ficam impregnadas de nossos apelos. Clamamos por pêndulos de impulsão que possam nos arremessar por caminhos desconhecidos que aos poucos vão sendo desvendados em nossa alma. Aí, a partir do momento em que vamos descobrindo os mistérios é que passamos a enxergar com maior dimensão aquilo que nos foi reservado como destino.

Conformar-se. Ter paciência. Ter perseverança. Empenhar-se em modificar aquilo que está errado. Valer-se dos ‘baques’ da existência para crescer como gente. Visualizar que não vale a pena correr atrás daquilo que não tem valor como regra de vida. Vislumbrar a possibilidade remover a pedra pesada.

Talvez esses sejam os melhores ingredientes para superar um tsunami.

O mais duro, porém, é vê-lo acontecendo e não poder impedir que as ondas gigantescas venham para lamber, vorazmente, os seus conceitos de estabilidade. Tudo fica ruído e em cacos. Aí você tem que se chacoalhar-se, dar a volta por cima e jamais dar-se por vencido. Acho que é exatamente isso que Deus espera da gente, ou seja, resignação e luta para vencer esses obstáculos. 



Imagens

Ele vem em avisar e tira a paz das pessoas.

Comentários (0)

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)