Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.087.849 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

Extra...Extra...Extra: NOTÍCIA BOMBÁSTICA!


Publicada em: 16/03/2014 07:01
por: Hélio da Rosa Machado

O Ministro de plantão do Superior Tribunal de Justiça decidiu de vez a questão do mandato Legislativo em Campo Grande-MS. O curioso é que o inusitado aconteceu nesse julgamento: Nem BERNAL, nem OLARTE.

Sucede que ocorreu um lapso na eleição. Um erro material quanto ao nome do eleito. Esse tal de OLARTE não era o candidato a vice na chapa de Bernal. Foi preciso chamar um professor de português para resolver o dilema e para se saber qual era o verdadeiro nome registrado na chama de oposição a Girotto.

Houve grande tumulto no Gabinete do Ministro na hora da decisão, visto que em face da apreciação do recurso de BERNAL foram para Brasília o advogado de Bernal e o advogado de OLARTE. Ambos vendo aquele ‘entra e sai’ na sala do Ministro ficaram apreensivos já que não se tratava de uma conduta rotineira nos corredores daquela Colenda Corte.

Diante dessa movimentação atípica um dos advogados indagou a um assessor o que poderia estar acontecendo e ele respondeu é uma questão de gramática.  - Como assim indagavam os atônitos causídicos? – Há erro material no nome de um dos candidatos, informava definitivamente o dito assessor.

Agora que eu já estou sabendo o que aconteceu naquele julgamento fiquei numa felicidade tremenda; primeiro porque se rompe a barreira do continuísmo dentro do Executivo Municipal; segundo porque as possíveis dúvidas sobre a competência de Bernal deixam de existir; terceiro porque a “Bacada da Bola” foi prestigiada com o decisum do Superior Tribunal de Justiça.

Você que é esperto já deve estar sabendo o que aconteceu! Ainda não! Então vou dar mais umas dicas. Como se trata de um erro de português deve-se interpretar os nomes dos Prefeitos acima referidos. Quanto ao BERNAL nada de errado com seu nome, visto que se trata de uma denominação atípica. Talvez seus pais quando ele nasceu estivessem sofrendo com aquele verme que conhecemos como BERNE. Daí a junção de BERNE e SAL que afugenta o bicho, acabou gerando uma denominação única; BERNAL.

Agora, com relação à OLARTE, convenhamos, é um nominho bem estranho. Aliás, aquela sua cara de pastor de igreja crente de periferia só poderia vir coroada com um nome tão inusitado. Alguém já ouviu falar por aí que exista alguém com esse nome. Um nome um tanto quanto comprimido começando com uma vogal e terminando com outra, imprensando em seu interior as consoantes?

Pois é. Aí que está a grande charada do julgamento realizado lá no Superior Tribunal de Justiça. O Ministro depois de avaliar todas as considerações das partes concluiu em manter a decisão da Comissão Processante da Câmara Municipal de Campo Grande, em atendimento à Constituição Federal, visto que Poder Judiciário não pode interferir nas decisões dos Poderes sob pena de interferir na autonomia desses poderes.

Assim. Concluiu que essa designação OLARTE é que estava embaralhando ainda mais o enigma político da Capital sul mato grossense. As fichas de inscrições partidárias indicaram ao Ministro que o nome do eleito tem a separação do O das demais designações do nome de OLARTE. Essa separação do artigo O e a inclusão de mais uma vogal no nome do candidato dá o nome exato do candidato inscrito no Tribunal Regional Eleitoral.  Destarte, o Ministro chegou ao nome do eleito como Vice-Prefeito de Campo Grande, ou seja, não se trata de OLARTE, mas sim de O LAERTE.

Assim, essa proximidade dos nomes é que gerou a grande confusão. A exegese mais apurada por parte do Ministro leva a “Bancada da Bola” a ter um representante no mais alto escalão da administração política de nossa querida Capital.

O LAERTE, mais conhecido por nós como ‘LALÁ’ vai assumir o cargo da segunda-feira e fará uma festa para amigos da bola. Já marcou uma ‘peladinha’ em seus próprios domínios, ou seja, no campo da Prefeitura Municipal lá onde o Dr. Amilcar jogava com o Forense.

rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrrsrsrrsrsrsrsrsrsrrs

 

 

 



Imagens

Dizem que seu primeiro ato administrativo é formar o flamenguinho municipal.

Comentários (1)

Enviado por: JC SUCO, em: 18/03/2014 08:28
JA VAI COMECAR BEM, O CARA É INTELIGENTE MESMO E O CORINTHIANS ESTA PARTICIPANDO DOQUE AGORA,SÓ RESTA CHORAR

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)