Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.107.436 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

Reagimos; isso é importante.


Publicada em: 13/06/2014 08:55
por: Hélio da Rosa Machado

Estou aqui me preparando para o jogo das 13hs (México x Camarões), depois vou emendar com o jogo mais esperado da Copa que será realizado às 16hs (Espanha e Holanda) e fecho o dia assistindo a partida das 19 hs entre Chile x Austrália. Felizmente e especialmente hoje os meus amigos da ativa também serão privilegiados com essa rodada. O feriado emendado lhes dá essa chance. Lembrei-me que há pouco tempo eu também era refém desses acasos...kkkkkk

O jogo de ontem de nossa seleção Canarinho nos deu um aperitivo de que a Copa no Brasil pode nos reservar ainda muita adrenalina, visto que não existe (hoje) seleção fácil. O importante dessa partida é que tivemos um bom aparato psicológico para enfrentar as dificuldades. Digo isso porque senti um time soberbo e que não se abalou com o gol, especialmente nas condições em que ele ocorreu. Ou seja, um lance inusitado e até vexatório, visto que não foi o adversário quem colocou a bola para dentro do gol.

Embora o Neymar, (a quem tenho dedicado elogios em minhas crônicas) tivesse sido um jogador decisivo em face aos gols que fez na partida, foi o Oscar quem brilhou e carregou o Brasil para o sucesso. Foi ele quem foi pra cima do adversário. Foi ele quem fez o maior número de passes certos. Foi ele quem mais desarmou os Croatas. Foi ele quem fez o gol mais aguerrido da tarde, ao carregar a bola no meio de inúmeros adversários e concluir com um biquinho (a lá Romário) para o gol.

Isso desmonta a falácia de que o elenco brasileiro sobrevive apenas de jogadas de um único jogador. O time brasileiro é muito mais que isso. Têm grandes jogadores de nível mundial. Tem a defesa mais cara do Planeta. Tem um meio de campo marcador, mas ao mesmo tempo com características pessoais acima da média de outros volantes, como eram, por exemplo, os volantes das era Dunga.

Fora a questão do pênalti que tem rendido manifestações ridículas da crônica mundial, de que a Croácia foi roubada e que a arbitragem tende a deixar a Taça nas mãos do selecionado brasileiro, o excrete Nacional demonstrou que está a fim de vencer os jogos e aos poucos ir conquistando os torcedores menos otimistas.

Hoje o nosso selecionado não é mais refém de jogadores mais badalados. Na Copa de 1994 a seleção apostava apenas em jogadores que poderiam decidir fazendo gols, que eram apenas o Bebeto e o Romário. Em 2002 essa incumbência deslocou-se para Ronaldo e Rivaldo. Foram esses dois que desequilibraram para nossa seleção Canarinho. Os demais jogadores do elenco eram aqueles que tinham funções de ‘carregadores’ de piano. Hoje não! Temos um elenco que a qualquer momento a partida pode ser decidida por um volante, já que Paulinho, Hernane e Ramires são jogadores que também decidem fazendo gols. Além disso, têm Fred, Hulk e Oscar que são jogadores acostumados a decidir uma partida.

É bem verdade que também já tivemos seleção que encantou e que era considerada a favorita por todos da mídia, mas em um jogo ‘mata-mata’ acabou sendo desclassificada. Trata-se do elenco de 1982. Esse dado histórico nos leva a não sermos tão otimista, já que em futebol não se pode olvidar das questões inusitadas e que influem sobremaneira nos resultados. Uma expulsão, por exemplo! Digamos que o Brasil esteja jogando com uma seleção de alto nível e durante a partida tem um jogador expulso. Isso vai deixar o time refém de um dado negativo.

Entretanto, o bom da filosofia do futebol é que a lógica não é tão lógica assim! O importante é que temos um selecionado confiável. Sabemos que nosso time reúne jogadores de alto nível. Temos a consciência que iremos enfrentar outros excretes que possuem jogadores de renome mundial; só que temos em ‘nossa manga’ o trunfo chamado torcida. Além disso, a pressão para arbitragem é maior sobre o time da casa. Talvez tenha sido esse o aspecto psicológico que levou o árbitro Japonês a apitar aquele pênalti que a mídia considerou inexistente. Não temos nada com isso. A Argentina já levou Copa do mundo com o seu ídolo fazendo gol com a mão. 



Imagens

Oscar brilhou contra a Croácia.

Comentários (1)

Enviado por: Valdir, em: 13/06/2014 11:05
Hélio, salvo engano o horário dos jogos citados é de Brasilia. Aqui então uma hora a menos.

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)