Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.301.229 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2019
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

AS INVERDADES DE UMA CAMPANHA ELEITORAL...


Publicada em: 10/11/2010 15:21
por: Hélio da Rosa Machado

Hoje os mentores deste site receberam as duas propostas de trabalho para o próximo biênio da Delegacia do Sindijus (Campo Grande), verificando que a chapa que apoiamos (CONTINUAÇÃO), além de fazer as justificativas de seus investimentos, mostrou disposição de trabalhar, melhorar o que é preciso e não prometer coisas que não poderão cumprir. Aliás, nós que acompanhamos o trabalho da gestão que ora se encerra sabemos que foi feito todo o possível para que as atividades na nossa sede social não parassem, embora a Diretora Social – uma das áreas mais importante – tenha debandado para a Direção Geral com a promessa de um cargo que a liberava das suas funções normais.

Entretanto, ao observarmos as propostas inseridas na chapa adversária, deparamos com inverdades típicas de quem quer se promover às custas de promessas e mentiras.

Certamente, que para cumprir as promessas que foram feitas no ‘folheto milagroso’, o seu Presidente fará aquilo que não fez enquanto esteve no comando da Direção Geral. Explico: Durante os três anos de gestão frente ao Sindijus, a Delegacia de Campo Grande-MS, não recebeu qualquer verba vinda da entidade “mor”, a não ser o repasse que é obrigatório. Não investiu numa só bola aqui na Delegacia Sindical, mas, com certeza, patrocinou eventos esportivos que não valem a pena ser citados, porque iriam ferir colegas e amigos que foram convidados para compor a equipe.

A formação da chapa adversária rompeu as barreiras da perplexidade, pois a sua montagem foi autoritária e antidemocrática, já que foram inseridos nomes à bel prazer, sem autorização das pessoas. Tanto é assim, que a Comissão Eleitoral teve um trabalho extra para retirar o nome de pessoas que não queriam participar de tal chapa. Quem quiser saber melhores detalhes é só observar os cargos vagos. O curioso é que o ‘folheto milagroso’ traz o nome de pessoas que determinaram a retirada dos seus nomes da referida chapa.

Ficou sem sentido algum a propaganda inserida na chapa de oposição, fazendo menção ao seu Diretor Esportivo. Mas, que diretor é esse? Pelo que sabemos esse cargo está vago! Certamente, que o Paulo César dos Santos, a quem conhecemos há muito tempo, possui todas as qualidades que foram anotadas no ‘folheto’. Isso ninguém discute, mas, daí se dizer que ele faz parte da chapa adversária, é uma mentira deslavada, pois, caso ainda figurasse como candidato, seríamos o primeiro a concordar com as qualidades citadas no ‘folheto’ (em relação ao amigo Paulo Cesar), pois ele realmente é uma pessoa digna de muitos elogios.

O que muito se vê falar da vontade do presidente da Chapa adversária é que ele tem prometido a todos: Se eleito for, seu primeiro passo vai ser tercerizar os serviços internos e fazer a sede social render bons lucros. O que isso significa na prática? Que ele vai priorizar o ‘vil metal’, pouco interessando se nessa arrecadação haja conflito com o interesse do filiado. Assim, alugar o campo, alugar a sede social, alugar o salão, alugar o bar; tudo faz parte de um pacote só que vai render muito dinheiro.

É muito fácil falar que mandou boa importância em dinheiro para a Delegacia Sindical. Isso, pelo menos, não é uma mentira. É uma obrigação! Evidente que a cifra que ele coloca no seu ‘folheto milagroso’ é para causar impacto, pois se trata de somatória dos valores de dois anos seguidos, ou seja, 2009/2010. Ele só se esqueceu que numa administração não é só a receita que gira, mas também as despesas. A nossa sede campestre não é algo fácil de administrar, pois além das despesas ordinárias, ainda aparecem os gastos extras com manutenção.

O fato é que a chapa de oposição tem um líder que se julga o máximo em nosso contexto sindical, pois sempre considerou que o trabalho desenvolvido nas Delegacias Sindicais, especialmente em Campo Grande, é um trabalho subserviente, que deveria lhe servir de suporte para suas galhardias políticas. Ocorre que o grupo que administra a Delegacia Sindical de Campo Grande nunca se subjugou às suas vontades e sempre contestou seus arroubos. Daí a razão dele se candidatar neste momento de eleição, para poder usufruir integralmente da ‘galinha dos ovos de ouro’ e também poder conduzir seu ‘pintinhos’ conforme os seus interesses.

Este site não comunga com inverdades e tentativas de ludibriar os filiados do Sindijus. Temos obrigação de alertar para a ‘raposa velha’ que quer se apossar da caça sem necessidade de esforço.

Não queremos entregar nossa administração social a um visionário do mundo político, pois sempre fomos pessoas ligadas à administração e não aos avanços pessoais, através de atitudes que muitas vezes ferem as regras da convivência entre aqueles que deveriam ter nossa consideração.

As inverdades só podem ser combatidas quando vem à tona; essa a razão desta manifestação que não era para acontecer, não fosse o fato gerador criado pelo grupo da chapa adversária com o tal ‘folheto milagroso’.



Imagens

Unidos venceremos....

Comentários (0)