Seja bem-vindo, você é o visitante número 1.072.339 do nosso site desde março/2009.

Menu Principal
Início
Apresentação
Notícias
Comentários
Agenda de Jogos
Fotos e Vídeos
Hino
Contato

Campeonatos SINDIJUS
Veterano 2018
Veterano 2017
Veterano 2016
Aberto 2015
Veterano 2015

Ambição demasiada ofusca o sonho.


Publicada em: 26/07/2013 13:50
por: Hélio da Rosa Machado

Interessante como o mundo individual de cada um se torna um declínio voraz caso a pessoa não saiba administrar seu estrelato. Quando eu acompanhava aquela aparente harmonia entre os jogadores Ganso e Neymar (no elenco santista) achava que algo não ia bem entre eles. Sucede que na hora de acertarem suas vidas profissionais um deles demonstrava alegria e satisfação enquanto o outro se mostrava carrancudo.

O Ganso nunca soube posicionar-se em degrau inferior ao de Neymar, em face de estar vivendo momento distinto. Parecia que ele ambicionava acompanhar a mesma trajetória de Neymar mesmo não estando no auge da forma. Ele seguia patinando com as seguidas contusões. Isso nunca foi motivo para desencadear em Ganso uma nova trajetória. Sua ambição não lhe permitia pensar melhor.

Os próprios noticiários nacionais anunciavam que a diretoria do time Santista não estava conseguindo estabelecer um acordo com o jogador Ganso, mesmo que houvesse boas propostas, afinal, o jogador não estava oferecendo retorno ao clube, pois vinha passando por reiterados problemas físicos e de ordem médica. Isso nunca foi base para que esse jogador se motivasse com as propostas santistas.  Era visível que ele sempre se via à sombra de Neymar.

É certo que o Ganso antes de suas seguidas contusões chegava a um momento de profunda igualdade como o amigo Neymar. Juntos eles foram conquistando títulos para o time santista. Chegaram juntos, também, em algumas convocações da seleção brasileira. Mas foi só isso.  Infelizmente, o destino não permitiu que ambos seguissem na mesma ordem de rendimento para o time praiano.

Pela ordem natural das coisas o Neymar foi crescendo cada vez mais no elenco, pois, sua capacidade física e sua desenvoltura para driblar as constantes investidas dos zagueiros de plantão fizeram-lhe ficar ileso de problemas com contusões. Já o Ganso não Teve a mesma sorte. Curava-se de um problema, mas logo em seguida vinham outros que o levaram a ficar no estaleiro por tempo incomensurável, já que jogador profissional tem de estar na ativa para poder valorizar seu passe.

Todas as tentativas de acerto por parte da diretoria santista esbarravam na insistência de Ganso em assinar um contrato melhor do que era oferecido por seu time. Ele não conseguia enxergar que foi a estagnação de sua atividade que lhe fez ficar à mercê de um acordo menos apoteótico do que a proposta feita a Neymar. Ou essa inconsistência é própria de sua personalidade ou ele estava sendo mal orientado nesse período.

O fato é que depois de tantas tentativas o time santista enxergou que o jogador só estava causando problemas. Não valia a pena investir em quem não demonstrava interesse de vestir a camisa santista.

Essa crise levou Ganso ao São Paulo. O time santista até que fez um bom negócio considerando tudo o que viria a ocorrer depois da saída do jogador Ganso.

Com a sua saída do time santista o Ganso passou a viver um declínio ainda maior do que já havia passado no seu time de origem. Ficou sem jogar um bom tempo, pois ainda precisava recuperar-se de uma cirurgia. Passou bom tempo no banco da equipe são-paulina.  Não conseguiu se efetivar como titular com o treinador Ney Franco.  Nunca mais foi convocado para a seleção brasileira e hoje, depois de receber algumas oportunidades pelo treinador Paulo Autuori vai para o banco outra vez. Ele é parte da crise vivida pela equipe do Morumbi.

Enquanto isso o Neymar já está no Barcelona e faz parte de todos os noticiários do primeiro mundo.

Que lição se pode extrair de tudo isso. Trata-se de algo inerente ao cotidiano de qualquer pessoa. Ou seja, nunca ambicionar mais do que você pode oferecer. As relações profissionais que cada pessoa pode entabular nas diversas situações da vida ativa são delineadas por um pêndulo que oscila de um lado para o outro. A energia que move esse pêndulo é que irá definir de que forma ele irá funcionar dentro de um critério de maior ou menor intensidade.

Assim, a energia inerente ao pêndulo de Neymar é aquela que dá aceleração constante e que impulsiona sua intensidade no movimente de ir e vir. Entretanto, o pêndulo do jogador Ganso é aquele que compassadamente tem de ser empurrado de um lado para o outro e mesmo assim não consegue se movimentar com precisão.

Concluindo, o Ganso muito quis sem ter muito a oferecer, por isso acabou caindo na ribanceira e adiou irremediavelmente o sonho. Mas, quem pouco ambicionou pelo muito que poderia almejar acabou chegando mais cedo ao local que sempre sonhou. 



Imagens

Ganso vai ter que esperar um pouco mais a sua vez.

Comentários (0)

Enviar comentário


Nome:
Comentário:
Código de verificação:  
(digite os números que aparecem na imagem ao lado do campo)